Vanderlei foi um dos destaques na classificação do Santos (Foto: Reprodução/ Facebook Santos Futebol Clube)

Futebol

O Santos superou o Botafogo de Ribeirão Preto, nos pênaltis, por 3 a 1, após empatar por 0 a 0 no tempo normal, nesta quarta-feira, 21, e avançou às semifinais do Campeonato Paulista 2018. Apear da classificação na Vila Belmiro, o técnico Jair Ventura disse que o time ainda tem muito a melhorar e que não existe uma equipe perfeita. Além disto, o comandante pediu um "camisa 10". 

“O time ideal era esse (o que iniciou a partida). Depois que o jogo começou, já mudou. Achar a excelência é difícil. Eu cobro bastante, querendo sempre mais, porém a perfeição é algo inalcançável”, disse o treinador.

O Santos pressionou o Botafogo durante boa parte do jogo, mas não conseguiu criar chances claras de gol. O time do interior fechou a marcação no meio campo central, o que levou Jair a mudar a tática.

Ele orientou o Santos a atacar pelas laterais. No entanto, não esperava tantas bolas aéreas alçadas na área.  Por isto, Jair admitiu que sente falta de um camisa 10 para segurar a bola no meio campo e achar o momento certo das infiltrações. 

“Procuramos um camisa dez. Tentamos com o Vitor Bueno e Vecchio. Brinco com eles para segurarem a 10”, declarou.

Tradicionalmente, o camisa dez é o armador da equipe, o que roda a bola, faz infiltrações, finaliza com qualidade e deixa os companheiros em situação clara de gol. O atual dono da camisa é o atacante Gabigol, que não faz esta função de meia.

Com três dos quatro grandes do Paulistão classificados, falta apenas o vencedor entre Corinthians e Bragantino para os confrontos das semifinais serem definidos. A próxima fase começa no final de semana dos dias 24 e 25 de março.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Dorival cumprimenta Cueva pós-vitória sobre o CSA (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Esporte

O São Paulo venceu o CSA, de Alagoas, por 2 a 0, em jogo válido pela segunda fase da Copa do Brasil 2018, no estádio Rei Pelé, em Maceió, na noite desta quinta-feira (15). Para o técnico Dorival Júnior, a equipe tem evoluído, apesar do início de ano cansativo. 

Os gols foram marcados somente no segundo tempo pelos meias Nenê (3’, 2º) e Cueva (16’, 2º), garantindo acesso do tricolor na próxima fase do torneio - inédito no museu de troféus do Morumbi. A partida não foi de empolgar, principalmente no primeiro tempo, quando o SP procurava brechas na zaga do time da União e da Força. Porém, na segunda etapa, a equipe voltou mais consciente e conseguiu colocar em prática o que faz nos treinos.

“Voltamos para o segundo tempo mais conscientes. Isso foi importante para ter mais posse de bola. As jogadas que foram treinadas exaustivamente, as triangulações e conseguimos os gols. A marcação estava toda lá atrás, erramos nos passes, mas quando acertamos a movimentação, o Diego Souza saindo e alguém entrando no corredor, com uma marcação individualizada, começamos a atacar o espaço e a criar uma nova condição para o time”, disse Dorival.

Cueva comemorando gol contra o CSA Foto Rubens Chiri

Foto: Rubens Chiri - Divulgação São Paulo FC.NET

O comandante do time do Morumbi destacou o desgaste físico que o início de temporada causa. O São Paulo treinou por 10 dias e fez 8 jogos, o que dá uma média de três partidas por semana e embalou a quarta vitória consecutiva.

“Um jogo como este contra o CSA mostra tudo isso. As dificuldades do primeiro tempo e a mudança para segunda etapa. As críticas vão acontecer. Com 10 dias de treino não existe milagre. Se tem alguém a ser criticado não são os jogadores. Estamos no caminho certo. Vamos fazer um bom Paulista e uma boa Copa do Brasil”, completou o técnico.

O próximo compromisso da agenda do São Paulo é diante do Santos, às 17h, no Morumbi. Rodrigo Caio cumpre suspensão automática e Anderson Martins deve substituí-lo.

Em 2006, Alckmin superou Lula com folga em São Paulo (Foto: Rovena Rosa/ABR)

Opinião

É quase consenso que Geraldo Alckmin é o melhor nome do PSDB para concorrer este ano à Presidência da República. Evidentemente, tem aqueles que discordam, como o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, que chamou a prévia do partido de fraude e abandonou a disputa interna pelo posto de presidenciável. Mas, depois de Aécio Neves ter se afundado em um lamaçal, de o prefeito João Doria, aparentemente, ter se contentado com a possibilidade de sair governador e de Fernando Henrique Cardoso ter visto abortada a ideia de lançar Luciano Huck como candidato, não há às claras outra indicação tão forte nas fileiras tucanas quanto a do governador paulista.


Assim, o nome de Alckmin deve ser aclamado nas prévias presidenciais do partido, agendada para 18 de março. No entanto, se dentro da legenda a fatura é líquida e certa, fora dela o cenário ainda é muito nebuloso. E os números divulgados ontem pelo Instituto Paraná Pesquisas (IPP), que mostrou o paulista em empate técnico com Jair Bolsonaro, com intenções que variam de 20% a 23%, dependendo do cenário, é mais motivo para preocupação do que para celebração. Afinal, se quer almejar voos mais altos, o governador tem de se mostrar soberano entre aqueles que diretamente lidera.


Em 2006, quando enfrentou Luiz Inácio Lula da Silva, Alckmin superou o petista nos dois turnos, tendo um incrível desempenho de 54,2% dos votos no primeiro turno. Isso com Lula no auge de sua trajetória política. Em 2010, José Serra repetiu a dose, baixando a margem para 40,67% no primeiro turno e subindo para 54% no segundo. Em 2014, Aécio Neves perdeu nos dois turnos em Minas Gerais, seu Estado, e viu Dilma Rousseff ser reeleita.

Assim, para Alckmin não resta outra alternativa a não ser recuperar os votos que o PSDB tradicionalmente obtém em São Paulo. Ainda há muita água para rolar sob esta ponte. Mas, fazer um jogo de recuperação é muito mais difícil e desgastante do que administrar uma vantagem. No entanto, as prévias do PSDB podem finalmente lançar luz sobre o papel do governador paulista nesta que deve ser uma acirrada e imprevisível disputa presidencial.

Além do cansaço, técnico não poderá contar com seu principal atacante: Gabigol (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

Após a derrota por 2 a 0 contra o Real Garcilaso, em jogo válido pela Libertadores, nesta quinta-feira, 1º, o técnico do Santos, Jair Ventura, já “virou a chave” para o clássico diante do Corinthians, no próximo domingo, 4, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista.

O treinador lembrou que o rival teve um dia a mais para descansar, pois jogou na quarta-feira,28, contra o Millonarios, na Colômbia, também pela competição continental.

“Agora é descansar. Nós completamos nosso décimo jogo no ano. Sabemos da força do Corinthians. Eles tiveram um dia a mais de descanso, nossa altitude foi maior, mas temos de superar isso tudo para voltar à sequência boa de vitórias que estamos dentro do Campeonato Paulista”, destacou Jair, que foi a Cusco, no Peru, comandar o Peixe a 3.400 m de altitude, enquanto o Timão atuou em Bogotá (2.600 m).

Para o clássico no Pacaembu, o técnico não contará com Gabigol, autor de quatro gols nos últimos cinco jogos. O camisa 10 está suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo contra o Santo André.  Trinta mil ingressos já foram vendidos. Haverá apenas torcedores santistas no estádio.

Jogador deve ser titular no time de Jair Ventura (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Futebol

O Santos tem novo reforço para a sequência da temporada 2018. O clube oficializou a contratação do lateral-esquerdo Dodô. O jogador estava na Sampdoria e chega ao clube cedido por empréstimo pela equipe italiana até o final deste ano.

Dodô reforçará o Santos para tentar resolver uma carência do elenco. O time havia contratado para esta temporada o lateral-esquerdo Romário, mas o jogador ex-Ceará não conseguiu se firmar na posição após as rodadas iniciais do Campeonato Paulista, perdendo a vaga para Caju, jovem das divisões de base, que também não agradou ao técnico Jair Ventura. 

Mais recentemente, então, o treinador apostou em improvisações na lateral esquerda, com o colombiano Copete e Jean Mota. Agora, então, Dodô chega ao Santos sob a expectativa de conquistar a titularidade da posição. E ele celebrou a oportunidade de participar da Copa Libertadores na sua volta ao futebol brasileiro. 

"É um dia muito importante. Representa uma grande oportunidade de voltar para o Brasil e disputar a Libertadores da América. Passei seis anos na Itália e tenho essa grande oportunidade de voltar para jogar no Santos FC. Será muito bom trabalhar com o Jair Ventura, da nova geração e que vem fazendo sucesso nos últimos anos. A torcida pode esperar o máximo. Vou colocar em prática tudo que aprendi na Europa", afirmou o novo reforço ao site oficial do clube.

Ao oficializar a contratação, o Santos brincou ao utilizar o ex-atacante Dodô, que defendeu o time entre 1999 e 2001, para confirmar o acordo com o jogador de mesmo apelido, mas com história de êxito menor, ao menos até agora, no futebol, em um vídeo intitulado "Chamada inesperada" em que o técnico Jair Ventura faz uma ligação telefônica para o jogador "errado". 

Hoje com 26 anos, Dodô foi formado nas divisões de base do Corinthians, tendo sido promovido ao elenco profissional aos 17 anos, depois passando pelo Bahia, antes de chegar ao futebol italiano, onde atuou por Roma, Inter de Milão e Sampdoria. Ele também passou pelas seleções de base do Brasil, tendo sido convocado para o Mundial Sub-17 em 2009. 

Dodô é o quarto reforço a chegar ao Santos nesta temporada. Além dele e de Romário, o time também se reforçou com Eduardo Sasha e Gabriel Barbosa, o Gabigol, para o seu setor ofensivo. O clube ainda tem uma vaga a ocupar na lista de inscritos para a primeira fase do Campeonato Paulista e deve incluir Dodô na relação.

Willian vê muitas semelhanças entre Tite e Roger (Foto: Arquivo pessoal)

Futebol

O atacante Willian elogiou nesta quinta-feira, 1º, a forma como o técnico Roger Machado tem conduzido a gestão do elenco do Palmeiras. Na opinião do artilheiro do time na última temporada, o treinador tem conduta exemplar ao conversar com os jogadores, explicar as escolhas para a equipe titular e, assim, fazer até mesmo os reservas compreenderem a situação, não ficando desanimados por serem preteridos.

O jogador do Palmeiras citou o atual técnico da Seleção Brasileira, Tite, como um dos comandantes mais hábeis nesse trabalho de administração de grupo. “É o papel mais importante que eu vejo hoje [gerir grupo]. Temos uma referência que é o Tite, na Seleção, como ele faz a gestão dos atletas. Em um time grande lidar com essas situações é difícil, tem elenco com 30 atletas e 20 em alto nível podendo ser titular. Mas sabemos que todos estão aqui por méritos”, afirmou Willian, em entrevista coletiva.

Willian trabalhou com Tite no Corinthians, onde foram campeões do Campeonato Brasileiro, em 2011, e  da Copa Libertadores, em 2012. Essa convivência levou o jogador a comparar o treinador da Seleção a Roger Machado.

O atacante tem sido titular neste começo de ano e deve seguir no time neste domingo, contra o Santos, às 17h, no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista.

VEJA NOSSA EDIÇÃO DO DIA

Presidente da Fifa se esquivou de perguntas políticas (Foto: Fotos Públicas)

Copa 2018

Jogador admite que na Eurocopa havia um clima de "já ganhou" (Foto: Reprodução/Facebook)

Copa 2018

Croácia faz história e decide título contra a França (Foto FA/Staff)

Copa 2018

A jornalista brasileira Júlia Guimarães, da Globo e do SporTV, foi vítima de uma investida enquanto trabalhava na Rússia (Foto: Reprodução/TV Globo)

Copa 2018
Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou

Articulistas

Colunistas

Poder Executivo não deveria inferir tanto no Judiciário. Escolhas de juízes muitas vezes são mais ideológicas e partidárias do que técnicas (Foto: Antonio Cruz/ABR/Fotos Públicas)

Opinião

Paralisação dos caminhoneiros atrapalhou a economia, mas não foi a principal culpada (Foto: Marcelo Pinto/APlateia/Fotos Públicas)

Opinião

Descansar é necessário. Mesmo para empresários (Foto: Marcelo Lelis/ Ag. Pará/Fotos Públicas

Opinião

Vacina ainda é o melhor método para combater doenças como o sarampo (Foto: Leandro Osório/ Especial Palácio Piratini/ Fotos Públicas)

Opinião