Cursos de pedagogia e direito são os cursos mais procurados (Foto: Divulgação)

Cidade

O grupo educacional Drummond tem dois grandes motivos para comemorar o começo do segundo semestre de 2018. O Ministério da Educação credenciou o centro universitário da instituição com nota máxima e também autorizou a implantação de novos polos do curso de Ensino à Distância (EaD). Na prática, a faculdade obteve a autorização para virar uma universidade.

“O credenciamento como centro universitário dá autonomia de cursos e novos campi em outros locais. Este é um ponto que vai ajudar muito na expansão da instituição, que pretende chegar a regiões como Arthur Alvim e Cidade Patriarca”, explicou Osmar Basílio, reitor da instituição.

Outra novidade é que o grupo terá autonomia na implantação de cursos e, segundo o reitor, a ideia é criar graduações da área de Saúde. “Queremos ter Fisioterapia, Biomedicina, Enfermagem e, depois fechar isso com o curso de Medicina. Mas este é um curso mais difícil, que já requer uma autorização especial, enquanto os outros dependem apenas da instituição”, disse. O grupo conta hoje com colégios, cinco faculdades, com 30 cursos, e mais de 15 mil alunos.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Escolher um curso universitário não pode depender de achismos; pesquisa pode ajudar a tomar decisão (Foto: Divulgação)

Nacional

Pelo menos seis em cada dez estudantes levam em consideração a vocação para escolher a formação. A informação foi revelada pela pesquisa “O Perfil do Candidato a vagas de estágio em 2018”, realizada com 5.410 estudantes de diversas regiões do Brasil pela Companhia de Estágios, empresa especializada em consultoria de vagas de estágio e trainee.

No levantamento, 61,8% dos participantes afirmaram escolher qual graduação cursar de acordo com a afinidade pela área de atuação e pela vontade em exercê-la. Em segundo lugar, apontado por 33,1% dos estudantes, está o mercado de trabalho e suas oportunidades, como crescimento, remuneração, vagas e outros fatores. Diferente de tempos antigos, quando os pais passavam o comércio para os filhos ou os influenciavam diretamente, apenas 2,3% dos entrevistados afirmaram levar este fator em consideração.

“Os jovens se guiam até o caminho profissional por três vertentes principais: afinidade, boa remuneração ou  maiores chances de sucesso”, explicou a psicóloga Greta Munhoz. Ela afirmou que no primeiro caso estão aqueles que encontraram o curso que mais se identificam, mesmo que signifique salários menores. Já nos outros, a tendência de crescimento de determinado campo de trabalho aumenta nos próximos anos.

De acordo com o instituto responsável pela pesquisa, hoje os jovens possuem mais informações para escolher uma graduação, além de contarem com testes vocacionais, feiras de profissões e coaches que podem orientar o futuro universitário. “É importante ter em mente que a graduação é uma porta que se abre para novas descobertas e o profissional pode se atualizar e enriquecer seu currículo com o tempo”, ressaltou Tiago Mavichian, diretor da Companhia de Estágios. Segundo Mavichian, após se formar é possível ainda mudar a rota da carreira por meio de novos cursos, especialização, mestrado e até uma formação complementar.

Experiência é a principal preocupação

Segundo o levantamento feito pela Companhia do Estágio, 66% dos estudantes acreditam na necessidade de que o estágio é essencial para ganhar experiência profissional, sendo que 57,6% dos entrevistados garantem que procuram este tipo de oportunidade já nos primeiros meses.
Os dados apontam ainda a preocupação dos estudantes, já que 57% deles consideram a falta de oportunidades o pior efeito da crise que o País enfrenta nos últimos anos. Mas, mesmo em meio a esses percalços da economia brasileira, 78% dos entrevistados têm uma visão otimista do mercado, um aumento de 2% em comparação com o ano passado.

Alunos da rede pública têm preparação gratuita para Enem

Todos os alunos do ensino médio das escolas públicas do Estado de São Paulo terão acesso, esse ano, gratuitamente, à plataforma preparatória para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do Instituto Politécnico de Ensino a Distância (iPED). As aulas foram gravadas diretamente da sede do instituto em São Paulo.

O objetivo do Projeto Evoluir é oferecer toda a expertise e tecnologia em aprendizagem para os alunos da rede pública, que muitas vezes não podem pagar por um cursinho. O iPED ainda oferece um sistema de análise para todos os professores da rede pública do Estado, que permitirá que os docentes saibam quais de seus alunos precisam de uma atenção especial e, ao mesmo tempo, quais são as dificuldades desses estudantes.

Os professores e diretores de escolas também terão um curso em vídeo, para que aprendam a utilizar todos os recursos e potencial da plataforma, que já conta com 15 mil dúvidas respondidas por docentes. O sistema também possui um simulado com centenas de questões comentadas do Enem para os alunos se prepararem para a prova.

Segundo dados divulgados pelo governo federal, os alunos da rede pública com maiores notas no Enem representam menos de 10% do total. “Pensando nisso, resolvemos oferecer a eles um conteúdo de alta qualidade, completo, com as mesmas aulas de reforço que os alunos de rede privada têm acesso, porém, sem custo nenhum”, afirmou Fabio Neves, fundador do iPED.     

Estudante que não permitir vistoria em quipá ou burca, poderá ser eliminado do exame (Foto: Arquivo/ABR)

Nacional

Os candidatos que participarão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terão 30 minutos a mais para fazer a prova do segundo dia, que reúne conteúdos de ciências da natureza e matemática. Segundo o edital da prova deste ano, publicado nesta quarta, no Diário Oficial da União, os estudantes terão cinco horas para fazer a prova no segundo dia e cinco horas e meia no primeiro dia.

O edital continua prevendo a realização de revista eletrônica nos locais de prova, por meio do uso de detectores de metais. A novidade deste ano é que os alunos também deverão permitir que os artigos religiosos, como burca e quipá, sejam revistados pelo aplicador das provas. Quem não permitir a revista, poderá ser eliminado.

Assim como em 2017, neste ano, as provas do Enem serão realizadas em dois domingos seguidos: nos dias 4 e 11 de novembro. A estrutura da prova também não mudou: no primeiro dia serão aplicadas as provas de Redação, Linguagens e ciências humanas, com duração de cinco horas e meia, e no segundo dia, as provas de ciências da natureza e matemática, com cinco horas de duração.

As inscrições deverão ser feitas das 10h do dia 7 de maio às 23h59 de 18 de maio deste ano. A taxa de inscrição foi mantida em R$ 82. O pagamento deve ser feito entre os dias 7 e 23 de maio.

Isenções

A solicitação de isenção da taxa de inscrição deve ser feita entre os dias 2 e 11 de abril. Serão isentos os estudantes que cursam a última série do ensino médio em escola pública.

Alunos que fizeram todo o ensino médio na rede pública, bolsistas em instituições privadas ou pessoas que tenham renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio também não pagam a taxa. 

Também tem isenção o participante que declarar estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda e que esteja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal . Neste ano, também são isentos os participantes do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) do ano passado.

Os participantes isentos da taxa de inscrição que não compareceram nos dias de prova no Enem do ano passado terão que justificar a ausência por meio de atestado médico, documento judicial ou boletim de ocorrência para fazer o Enem 2018 gratuitamente. O prazo para justificar a ausência no Enem do ano passado vai de 2 a 11 de abril.

Imprevistos

Segundo o edital deste ano, o participante afetado por problemas logísticos durante a aplicação poderá solicitar reaplicação do exame em até cinco dias úteis após o último dia de aplicação. Os casos serão julgados individualmente pela Comissão de Demandas.

No ano passado, cerca de 3,5 mil estudantes tiveram que refazer as provas em outra data por problemas como falta de energia nos locais do exame.

Direitos Humanos

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) retirou do edital o item que determinava que a redação que desrespeitasse os direitos humanos teria nota zero. No ano passado, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou a suspensão da regra que previa a anulação da redação que violasse os direitos humanos.

Os resultados do Enem poderão ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Cursinhos preparam alunos com atmosfera semelhante à de um vestibular (Foto: Reprodução/Facebook Poliedro)

Nacional

Celular, televisão, música alta, conversas e até uma olhadinha na geladeira. Estudar em casa, sozinho, exige uma dedicação ímpar e raramente dá certo. Por isso, os cursinhos pré-vestibulares são a melhor forma de se preparar para a hora das avaliações, segundo especialistas.

Segundo Daniel Perry, coordenador do Anglo Vestibulares, além da preparação para o conteúdo que cai na prova, os cursinhos têm capacidade de melhorar o potencial psicológico do candidato. “Por exemplo, em um simulado, a gente faz um clima de vestibular. Quando ele for prestar a Fuvest, já terá vivido aquilo e terá mais calma para enfrentar o desafio”.

De acordo com Vinicius de Carvalho Haidar, coordenador do Curso Poliedro, a modalidade ajuda os estudantes a se cobrarem. “Tem uma preparação mais rápida, mas não há uma cobrança de nossa parte. Quem sabe o que deve estudar para se superar são os alunos”, disse. Outro ponto importante é a troca de experiências entre os candidatos.

O diretor do Cursinho Maximize, Tony Manzi, concordou. “O cursinho tem uma ênfase na motivação, pois os alunos percebem que, se esforçando e se preparando, vão conseguir os resultados esperados”, comentou. Eles disseram que, em caso de dúvidas, os cursinhos estão de portas abertas para conversarem e indicarem o melhor caminho.

Enem é atalho para jovens conseguirem vagas em universidades (Foto: Pablo Kennedy / AE)

Cidade

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) prorrogou o prazo para a solicitação de isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A data final, inicialmente marcada para 11 de abril, foi postergada para o dia 15 de abril.

Também foi prorrogado o prazo para os candidatos que tiveram isenção no ano passado e faltaram aos dois dias de prova justificarem sua ausência, para continuar tendo o benefício.

Segundo o Inep, o objetivo da mudança é dar mais tempo para que os participantes possam se adequar às novidades desta edição, “garantindo, assim, a isonomia a todas as pessoas com direito à gratuidade da taxa de inscrição do exame”, diz o instituto.

Tanto o pedido de isenção como a justificativa de ausência devem ser feitas no site enem.inep.gov.br. Todos os interessados em fazer o Enem 2018, isentos ou não, deverão fazer a inscrição no exame entre 7 e 18 de maio. As provas vão ocorrer em 4 e 11 de novembro.

Quem pode fazer o pedido

Tem direito à isenção os estudantes que estejam cursando a última série do ensino médio neste ano em escolas da rede pública, ou que tenham cursado todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada e tenham renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio. Também pode solicitar isenção o participante que declarar situação de vulnerabilidade por ser membro de família de baixa renda e que esteja inscrito no CadÚnico.    

Planejamento eficiente para o vestibular

Na hora dos vestibulares e dos concursos, uma boa estratégia pode diferenciar os candidatos que vão conseguir sua vaga dos que tentarão novamente em uma outra oportunidade. O planejamento pode resultar em melhor rendimento, de acordo com o coordenador do Curso Poliedro, Rodrigo Fulgêncio Mauro.

Segundo o especialista, para alcançar um objetivo, é preciso ter um planejamento eficaz. “Não é diferente com a aprovação nos vestibulares de medicina e outros cursos de ampla concorrência”, explicou. “A organização da rotina de estudos é essencial para não se perder durante o ano. A matéria atrasada aparece quando não existe um planejamento eficaz do que deve ser estudado em cada momento do dia.”

As dicas são as seguintes: identificar os conteúdos por nível de dificuldade – as mais complicadas devem receber atenção especial –, organizar uma carga horária adequada (ter em mente os estudos, resolução de exercícios e plantões de dúvidas), verificar matérias com maior peso para priorizá-las e adaptar o plano de estudos às necessidades semanais (afinal, o cotidiano está em constante mudança).

“O estudante pode distribuir as matérias de maneira intercalada e não deve se esquecer de descansar e se exercitar, além de ter momentos de descontração”, afirmou. Depois que tiver tudo planejado, basta dar a largada e trabalhar bastante.

Quem sonha em ingressar na faculdade neste semestre ainda pode aproveitar todo mês (Foto: Divulgação)

Cidade

Com o fim dos principais vestibulares de universidades públicas, os candidatos têm pouco tempo para realizar os trâmites e tentar estudar ainda neste semestre. Quem quiser utilizar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em entidades particulares ou para o Programa Universidade para Todos (Prouni) ainda tem algumas opções.

Os chamados vestibulares “fora de época”, realizados após o início das aulas, estão com inscrições abertas durante o mês de março. Além disso, o Prouni está disponível até amanhã e o cadastro deve ser realizado por meio do site do programa.

O Metrô News buscou as principais instituições particulares de ensino superior do Estado de São Paulo para questionar sobre o processo seletivo. Na Universidade Paulista (Unip), os descontos para ingresso com a nota do Enem podem chegar a 100%. As provas tradicionais ocorrem até 18 de março e mais informações podem ser obtidas no site da instituição.

Na Anhembi, as provas vão até o dia 10 e as inscrições custam R$ 25. Já na Universidade Cidade de São Paulo e na Unicsul, o prazo vai até dia 18 e o custo é de R$ 30. Na Faculdade Sumaré, a matrícula ocorre no mesmo dia do vestibular, com desconto de 70% na mensalidade de março.

Aprovados precisam ir até a Cidade Universitária (Foto: Marcos Santos/USP)

Cidade

Quem foi aprovado na 3ª chamada da Fuvest, para estudar na Universidade de São Paulo (USP), deve realizar a matrícula presencial, obrigatoriamente, nesta sexta-feira. Não há nenhum procedimento on-line necessário. O resultado e a convocação foram publicados na quinta, e podem ser conferidos por meio do http://bit.ly/2oqbLlE.

De acordo com a organização, foram 1.297 nomes divulgados (955 novos e 302 matriculados da chamada anterior que tiveram a solicitação de remanejamento atendida). Caso o candidato não possa comparecer, deverá enviar um responsável com uma procuração assinada.

Os aprovados ou os procuradores devem apresentar certificado de conclusão do Ensino Médio, histórico escolar ou diploma de curso superior, devidamente registrado (original e uma cópia), documento de identidade oficial (original e cópia) e foto 3x4 recente.

Como cada candidato selecionou duas opções de curso, na matrícula deve-se marcar as opções “matriculado satisfeito”, “matriculado aguardando nova convocação” ou “desistente aguardando nova convocação”. Assim, os que quiserem, podem continuar concorrendo em outras chamadas.

A quarta chamada está programada para ser divulgada em 27 de fevereiro, próxima terça-feira, com matrícula um dia depois. A quinta ocorre em 2 de março, com matrículas em 5 e 6, e a sexta, dia 8, com inscrição no dia 9. Os locais das matrículas de cada curso e

VEJA NOSSA EDIÇÃO DO DIA

Recuperado de lesão, Neymar já faz movimentos de jogo em Teresópolis (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Copa 2018

Praça Charles Miller vai ser sede de ação da editora (Foto; Reprodução/Google Maps)

Copa 2018

Ator, cantor e compositor, Will Smith foi chamado pela Fifa para encerrar mundial (Foto: Reprodução/Youtube)

Copa 2018

Alemanha não tomou conhecimento da Seleção (Foto: Clayton de Souza/AE)

Copa 2018
Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou

Articulistas

Colunistas

Críticos se escondem atrás de telas de computadores (Foto: USP Imagens/ Fotos Públicas)

Opinião

Problema é histórico e de difícil resolução (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Fotos Públicas)

Opinião

Azeredo é o primeiro, mas não pode ser o único tucano preso (Foto: Arquivo/ABR)

Opinião

Falta de combustível gera filas nos postos em Brasília (Foto: Marcello Casal/ABR/Fotos Públicas)

Opinião